Install Theme

Your web-browser is very outdated, and as such, this website may not display properly. Please consider upgrading to a modern, faster and more secure browser. Click here to do so.

wondering

Maria Luísa. 18. Pisciana.
Apr 11 '14

(Source: aleciamoores)

1,517 notes (via heylooktome & aleciamoores)

Mar 5 '14

716,963 notes (via thewastedgeneration & tastefullyoffensive)

Mar 5 '14

spookysiouxsie:

Photos of Angelina Jolie shot by Brad Pitt

7,130 notes (via thewastedgeneration & spookysiouxsie)

Feb 27 '14
enchant-r:

please

enchant-r:

please

487,686 notes (via depois-do-adeus & 100wordsneversaid)

Feb 27 '14
enchant-r:

please

enchant-r:

please

487,686 notes (via depois-do-adeus & 100wordsneversaid)

Feb 27 '14
Acho que estou andando pra frente. Ontem ri tanto no jantar, tanto que quase fui feliz de novo. Ouvi uma história muito engraçada sobre uma diretora de criação maluca que fez os funcionários irem trabalhar de pijama. Mas aí lembrei, no meio da minha gargalhada, como eu queria contar essa história para você. E fiquei triste de novo. Hoje uma pessoa disse que está apaixonada por mim. Quem diria? Alguém gosta de mim. E o mais louco de tudo nem é isso. O mais louco de tudo é que eu também acho que gosto dele. Quase consigo me animar com essa história, mas me animar ou gostar de alguém me lembra você. E fico triste novamente. Eu achei que quando passasse o tempo, eu achei que quando eu finalmente te visse tão livre, tão forte e tão indiferente, eu achei que quando eu sentisse o fim, eu achei que passaria. Não passa nunca, mas quase passa todos os dias. Chorar deixou de ser uma necessidade e virou apenas uma iminência. Sofrer deixou de ser algo maior do que eu e passou a ser um pontinho ali, no mesmo lugar, incomodando a cada segundo, me lembrando o tempo todo que aquele pontinho é um resto, um quase não pontinho. Você, que já foi tudo e mais um pouco, é agora um quase. Um quase que não me deixa ser inteira em nada, plena em nada, tranqüila em nada, feliz em nada. Todos os dias eu quase te ligo, eu quase consigo ser leve e te dizer: “Ei, não quer conhecer minha casa nova?” Eu quase consigo te tratar como nada. Mas aí quase desisto de tudo, quase ignoro tudo, quase consigo, sem nenhuma ansiedade, terminar o dia tendo a certeza de que é só mais um dia com um restinho de quase e que um restinho de quase, uma hora, se Deus quiser, vira nada. Mas não vira nada nunca. Eu quase consegui te amar exatamente como você era, quase. E é justamente por eu nunca ter sido inteira pra você que meu fim de amor também não consegue ser inteiro…
Tati Bernardi (via versificar)

Pode ser mais verdade?

(Source: romantizar)

18,569 notes (via depois-do-adeus & romantizar)

Nov 21 '13

Como o interesse nos faz pensar. É algo instigante. Não aquele interesse fugaz, aquele por ganância ou falsidade. Sim aquele da curiosidade, do desejo de saber mais. Esse interesse pode ser tratado de uma ideia, um lugar até uma pessoa. E pessoas, ah, pessoas, estas são complicadas. Elas, com seus enigmas e máscaras, se tornam cada vez mais difíceis de decifrar. Mas algumas há uma facilidade, e essas que me chamam atenção, por mais estranho que pareça não são as indecifráveis, mas sim as legíveis que me cativam. E agora, nessa hora tão caótica, é difícil te destacar entre tantos e tantas. Mas eu estou aqui tentando, refletindo sobre esse interesse involuntário e tentando inibir seu crescimento. Cansei. É, ja reforcei bastante que cansei, mas mesmo que o interesse não se acabe, a força e o esforço que você vai pisando, vai deixando de lado, lentamente diminuem e me obrigam a parar. Afinal, já cansei de deixar o desejo, o interesse falar mais alto e no final o desinteresse do outro acabar comigo.

MLNN

Nov 20 '13

175 notes (via funeralediunpoete & saraftavares)

Nov 20 '13
fourtimesfive:

I’m really close to this.

Pra vocês, fdps que fazem isso comigo

fourtimesfive:

I’m really close to this.

Pra vocês, fdps que fazem isso comigo

16,205 notes (via fourtimesfuck & these-times-shall-pass)

Nov 19 '13

(Source: tinagrey)

537,856 notes (via servare-vitam-pulchra & tinagrey)

Nov 15 '13

Sendo uma fã assídua de Eu Me Chamo Antônio, tenho me deparado com diversos ‘guardanapos’ com os quais me identifico. Será por serem tão genéricos a ponto de representar a vida de qualquer adolescente ou tão profundos a ponto de tocar nas memórias mais claras de meu coração? Recentemente, por exemplo, me dei conta sobre uma verdade escrita pelo tal ‘Antônio’, que diz “Às vezes é necessário desistir: não há vergonha alguma nisso. Vergonhoso é insistir no não desejo do outro.” E isso, mesmo sendo só mais uma de suas frases corriqueiras e sobre desilusões amorosas, me fez pensar quão boba eu fui de me sentir culpada por desistir. Desistir nem sempre é acabar com as esperanças, nem sempre é tender ao exagero do nunca. Desistir às vezes, como disse Antônio, é necessário. É preciso desistir de mágoas, desistir do passado e do que ficou lá. É preciso entender que nem tudo é pra sempre, mas que mesmo sem o ‘desejo do outro’ é possível continuar. Desistir é só entender seu limite e até que ponto você coloca a pessoa em primeiro lugar sem se machucar. É entender que as tristezas ficam pra trás, mas que outras felicidades virão. Desistir não é ser fraco. Muitas vezes pode significar ter coragem e ser o mais forte possível.

MLNN

Nov 15 '13

(Source: blississa)

1,124 notes (via heylooktome & blississa)

Nov 11 '13

ai meu deus <3

(Source: onabicyclebuiltfortwo.com)

2,026 notes (via lesbcorgulho & liquorinthefront)

Nov 11 '13
Tá, tá, pode parar. Eu acho que já entendi, ou ao menos tô tentando entender. Mas isso não pode acontecer, não, não. De novo, não. Ah, mas se for pra ser assim, que dessa vez seja certo e que dure. Porque aqui tá ficando chato já, ele bate bate bate e o outro vira vira vira. É, é, tá bom, eu sei que eu tô tentando evitar, mas o que eu posso fazer? Não quero todo aquele mar de sentimentos de volta, chega. Cansa sabia? E porque eu iria querer algo que me machucasse de volta? Pois é. Porque querer mais alguém pra falar dos meus defeitos e pra me isolar do mundo. Espera, mas isso eu faço sozinha também. Ah, não, mas isso ajuda, tá. Ai, só sei que eu queria. Vish, não disse isso. Disse, mas no fundo, só pra mim. Ah é? Mas então você admite? Não, ninguém precisa saber. Mas agora eu sei. E daí? Vai contar pra ela? Quem sabe, o futuro a Deus pertence.
MLNN

Tá, tá, pode parar. Eu acho que já entendi, ou ao menos tô tentando entender. Mas isso não pode acontecer, não, não. De novo, não. Ah, mas se for pra ser assim, que dessa vez seja certo e que dure. Porque aqui tá ficando chato já, ele bate bate bate e o outro vira vira vira. É, é, tá bom, eu sei que eu tô tentando evitar, mas o que eu posso fazer? Não quero todo aquele mar de sentimentos de volta, chega. Cansa sabia? E porque eu iria querer algo que me machucasse de volta? Pois é. Porque querer mais alguém pra falar dos meus defeitos e pra me isolar do mundo. Espera, mas isso eu faço sozinha também. Ah, não, mas isso ajuda, tá. Ai, só sei que eu queria. Vish, não disse isso. Disse, mas no fundo, só pra mim. Ah é? Mas então você admite? Não, ninguém precisa saber. Mas agora eu sei. E daí? Vai contar pra ela? Quem sabe, o futuro a Deus pertence.

MLNN

Nov 7 '13

Você não percebe que está vivendo sem amor até que a sua única esperança é que ele exista. Vivo no automático. Os dias se passam tão devagares que até agonia. Mas ainda tão rápidos que parece não haver vida. Só se vão. Se esvaindo por meus dedos como as lágrimas que não enxugo mais. E a saudade, a angustia e nostalgia, ah. Essas ainda sufocam e não sei se ainda há esperança.

MLNN

1 note